Compartilhar :

Dizer que as pessoas são os ativos mais importantes de uma organização é evidente: está na hora de ir além. As organizações precisam reconhecer a importância estratégica do talento e tomar decisões de planejamento e de estratégia da organização com base em sua capacidade de atrair e gerenciar talentos. Durante décadas, os CEOs vêm falando sobre como as pessoas são seu ativo mais importante, mas eles não têm se comportado de acordo com isso quando se trata de desenvolver estratégias de negócios, designs organizacionais ou práticas de gestão de talentos. Se as organizações desejam prosperar, é necessário que façam da gestão de talentos uma parte central da estratégia de negócios e das tomadas de decisões dos gestores.

Como podem fazer isso? Primeiro, precisam reconhecer que o mundo dos negócios mudou. Uma série de evoluções importantes, incluindo a globalização dos negócios, os avanços na tecnologia e o rápido índice de mudanças no ambiente empresarial, fez isso acontecer. Essas mudanças criaram um mundo em que os princípios e as práticas de gestão de talentos de uma organização se tornaram um importante determinante de sua eficácia.

Posicionar o talento como o principal motor da eficácia de uma empresa requer que as organizações deixem sua abordagem tradicional baseada em empregos para definir o design e a gestão da organização. Elas precisam começar a pensar nisso centrando-se nas competências e capacidades necessárias para executar uma estratégia de negócios. Essa análise de competências precisa basear-se nas tarefas e atividades que uma organização precisa executar mais do que no desenvolvimento de descrições de empregos.

As organizações também precisam se focar nas fontes potenciais do talento necessário para implementar as estratégias de negócios. Essa análise precisa considerar múltiplos tipos de relações de envolvimento com seus talentos, assim como se seria melhor desenvolver ou recrutar talentos. Essa análise também deve considerar como os talentos podem ser mais bem organizados ou gerenciados.

A chave para pensar de forma eficaz em talentos estratégicos no mundo atual do trabalho está em ir além do modelo do funcionário em um emprego para gerenciar talentos. O que é particularmente estimulante e desafiador a respeito de desenvolver a combinação correta de estratégia de talento/negócio para uma organização é o número de opções disponíveis para análise e implementação considerando-se o ambiente de negócios atual.

Em vez de simplesmente olhar para os empregos e tentar preenchê-los com funcionários, as organizações agora têm inúmeras formas de obter os principais talentos de que precisam para fazer as tarefas necessárias para implementar as estratégias da organização. Isso inclui usar contratos temporários, contratações permanentes e parcerias com outras organizações que têm o tipo certo de talentos e capacidades.

Uma segunda chave para desenvolver um talento eficaz e uma estratégia de negócios é fazer com que a disponibilidade e a gestão de talentos sejam impulsionadores de estratégia, e não apenas considerações a serem feitas uma vez que a estratégia já foi desenvolvida. Em muitos casos, isso pode e deve determinar a estratégia de uma organização.

Finalmente, como apresentei em meu novo livro, Reinventing Talent Management, os principais princípios e práticas de gestão de talento das organizações precisam ser projetados para se adequarem a uma abordagem conduzida por talentos para uma eficácia organizacional. Para muitas organizações, isso exigirá fazer mudanças significativas nos sistemas de captação, seleção, desenvolvimento, benefícios e avaliação de talentos.


Transformação para o Sucesso